Dicas Preciosas para um Profissional Diferenciado!



Várias pessoas já me questionaram quanto ao motivo de não passar em algumas entrevistas de emprego. Outras simplesmente pelo fato de não terem sido efetivadas após o período de experiência. Algumas, por outro lado, questionam o motivo pelo qual não são promovidas, ter aumento salarial, etc. Bom, existem várias possibilidades em cada caso, mas tentaremos aqui resumir os principais erros que alguns profissionais cometem, vejamos:


Para os que não conseguem passar na entrevista de emprego, a insegurança, pouca (ou nenhuma) comunicação corporal e falta de propriedade na área almejada são os principais motivos. Para saber mais detalhes como se comportar numa entrevista de emprego, leia antes de continuar, este texto: 04 Dicas para Entrevista de Emprego

A qualificação é um pre-requisito indispensável, por isso não o listei aqui, mas o que adianta ser qualificado e não ter a postura de um bom profissional? Muitos candidados diante do entrevistador parecem "galinhas" a caminho do abatedouro, tensos, trêmulos, gaguejando, falta de raciocínio, temerosos. Não importa sua qualificação, o fator --- humano --- sempre vai pesar na hora do cara-a-cara. Teu currículo servirá apenas para ser pré-selecionado, pois o que vale é o que está escrito no papel, mas na hora do olho-no-olho é bem diferente, pois é você quem precisa transmitir toda a propriedade escrita no currículo. É comum, por exemplo, um candidato com menos qualificação ser aprovado, pois o que foi levado em consideração foi a segurança transmitida pelo profissional em ser capaz de ocupar aquela vaga, enquanto outros, mesmo com currículos maravilhosos são desclassificados, apenas porque não corresponderam com sua postura ao que nele estava escrito. Em outras palavras, a impressão que passa ao entrevistador é que estes candidatos, na prática, são "farsas" ou "produtos arranjados", compreende?

A efetivação no emprego depende de alguns fatores. O econômico é o vivenciado pela empresa no momento de sua contratação, como em final de ano, onde a demanda exige a contratação. Significa então que após esse período sua dispensa é justa? Não necessariamente. Costumo dizer que ninguém, ao achar uma pedra preciosa, jogaria fora. É assim que deve se APRESENTAR e se COMPORTAR o profissional que deseja ser efetivado, como uma preciosidade indispensável na empresa. O grande problema está no fato de que muitos desses profissionais estão alí apenas para ocupar uma vaga, receber um salário e cumprir o dever que lhe foi delegado. Se você pensa assim, não está errado! Existem empresas que buscam APENAS isso. Mas o certo é que  no mercado competitivo, profissionais diferenciados não pensam assim, eles querem mais do que uma vaga, querem sim a oportunidade de alcançar objetivos, metas muito bem definidas, e para isso estão dispostos a ir além do dever. Querem se destacar, cumprir suas obrigações de modo que posam ver nisso um "Q" de especialidade, algo que seja característico de sua personalidade, visão e conhecimentos. Acredite, são esses os profissionais efetivados. Eles são as "pedras preciosas" que muitos empregadores, se preciso, criam novas funções em suas empresas para não perdê-los. Se você não consegue ser efetivado, começe a pensar: que tipo de "pedra" eu tenho sido?

A promoção e aumento salarial nem sempre é justa. As vezes o trabalhador merece, mas não tem seu trabalho reconhecido. Nestes casos é hora de ser franco consigo mesmo e com seu empregador; até que ponto vale a pena continuar derramando "suor e sangue" para uma empresa que não sabe valorizar seus colaboradores? Por outro lado, existem os profissionais que imaginam ser merecedores de uma promoção, aumento salarial, apenas pelo tempo de serviço: "Tenho 10 anos na empresa e nunca recebí uma promoção!". Ora, a questão é; nestes 10 anos, o que você fez de SUFICIENTE que apontasse para o cargo pelo qual pretende ser promovido? Quer ser um supervisor, mas não sabe lidar com equipes? Quer ser um gerente, mas não conheçe o suficiente de assuntos gerenciais? Considerando agora que você sabe o suficiente, a nova questão é; nesses 10 anos você tem demonstrado esse conhecimento --- na prática ---, de modo que auxilie a empresa o suficiente para ver em você a figura de um novo supervisor ou gerente? 

Pois é amigos, quase sempre a frustração do profissional está relacionada a ele próprio. Sua compreensão dos deveres atribuídos, disposição para estabelecer e alcançar objetivos. Sabedoria para criar estratégias de atuação de maneira que o marketing pessoal faça jus as suas promessas e desejos. Pense nisso reavaliando sua atuação, quem sabe após a correção de alguns pontos "básicos" sua vida profissional não irá respirar novos ares! Abraço e até a próxima...




COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima