A Parábola dos Trabalhadores. A verdade que você não conhece!


Hoje quero tratar com vocês um assunto pouco compreendido pela maior parte das pessoas, incluindo evangélicos, estudiosos ou não e, principalmente não evangélicos. Diz respeito à IGUALDADE no ponto de vista de Deus/Jesus. Para falar disso, usarei uma passagem bíblica que é um exemplo clássico de MÁ COMPREENSÃO das escrituras bíblicas e que tem como consequência interpretações EQUIVOCADAS, quando não heréticas, tanto de cristãos como de não cristãos.
A passagem está no livro de Mateus, cap. 20: 1-16 e é conhecida como a Parábola dos Trabalhadores na Vinha. Não vou escrevê-la aqui, lógico, você tem uma bíblia em casa, certo? Então deixe de preguiça, pegue-a e acompanhe o estudo, se não fizer isso ficará difícil de compreender.

As interpretações clássicas para esta parábola são essas:

01 – Deus é soberano em escolher a quem deseja, quando e como quiser;
02 – Deus é justo, e dá a cada um aquilo que merece segundo o seu trabalho;
03 – Aqueles que trabalham mais merecem mais, porém, Deus trata a todos com igualdade.

Além dessas interpretações cristãs, existem outras, por exemplo, espíritas, que resolvem dizer que os diferentes horários na escolha dos trabalhadores representa diferentes níveis de evolução e dedicação de cada espírito em sua “jornada evolutiva” (nossa!). Essa interpretação será naturalmente refutada, uma vez que foge completamente o que o texto realmente diz, por isso, mais uma vez aconselho que o leitor acompanhe com sua bíblia aberta nas passagens. 

Qual o motivo das interpretações erradas e resumidas? 

O fato de a bíblia estar dividida em capítulos e versículos às vezes é uma dificuldade para a compreensão textual, pois geralmente as pessoas veem estas divisões como início e fim de uma narrativa, quando na verdade não significa isso. A bíblia foi escrita em pergaminhos, papiros e cerâmica e só em 1.227 dc veio ser dividida em capítulos por Stephen Langton, posteriormente em versículos.

Ao ler a parábola dos trabalhadores, tem-se a impressão de que o texto começa em Mat 20:1, porém, a narração desse texto inicia-se em Mat. 19:16, onde o desfecho, aí sim, acontece com a parábola dos trabalhadores. Portanto, para compreender a Parábola dos trabalhadores na Vinha é necessário fazer uma LEITURA CONTEXTUAL que vai de Mateus cap. 19:16 e só termina em Mateus cap 20:16. Começa no versículo 16 de um capítulo e termina no versículo 16 do outro capítulo, interessante não?

Qual é o contexto da passagem?

Jesus está falando de ENTREGA, doação, sacrifício, ou seja, de AMOR! Este ensinamento, oportuno, começa no diálogo com um jovem rico, que pergunta: que bem farei para conseguir a vida eterna?” Jesus responde argumentando a necessidade de guardar seus mandamentos que nada mais são do que preceitos completamente PRÁTICOS. O jovem diz que cumpre com os mandamentos, porém lhe falta o mais importante; desapegar-se da avareza. Este era o maior empecilho para aquele jovem seguir os passos de Jesus. Ele cumpria os mandamentos, apenas enquanto não afetassem as suas riquezas. Aquele jovem tinha seus bens MAIOR que tudo. Tinha boas intenções, mas não tinha AMOR ao Reino de Deus, porque o dinheiro lhe falava mais alto.

Jesus então, aproveitando a oportunidade, explica aos seus discípulos dizendo: “é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus”.
Os discípulos ficaram admirados, mas não pelas palavras de Jesus, apenas, mas pelo fato de se um rico (pessoa de posses, valorizada socialmente, bem vista, bem ACEITA humanamente) é tão difícil assim entrar no Reino de Deus, o que dirá deles (nós, eu e você), pobres, humildes, pescadores, iletrados e, EXCLUÍDOS socialmente? Então Pedro, preocupado (risos) questiona: “Eis que nós deixamos tudo, e te seguimos; que receberemos?” Mateus 19:27. Jesus responde, dando para nós a “chave” de toda a compreensão do texto e as parábolas, após falar aos discípulos estendendo sua resposta a todos nós:

“...todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna” Mateus 19:29

Opa! Jesus assegura a Pedro que a questão central/fundamental/determinante em segui-lo esta no interesse de ter algum benefício, certo? ERRADO!  Está no AMOR! O motivo, a razão pela qual alguém deva seguir a Cristo não é o quanto irá receber por isso, mas o AMOR que deva ter para com aquele que lhe criou, amou e sacrificou a sua própria vida para lhe salvar... Perfect! Será por esse motivo o maior dos mandamentos ser "amarás o Senhor, teu Deus, de toda a tua alma, de todo o coração e de todo o entendimento"? CLARO! 
Mas esta resposta não bastou na explicação de Jesus, Ele queria deixar ainda mais claro o seu ensinamento. Ele queria demonstrar, na prática, dentro de nossa compreensão humana de MÉRITOS, o que significa seguir a Deus por amor, e não por merecimento. Aqui entra a parábola dos trabalhadores na vinha. Perceba que Ele começa dizendo; “Porque o Reino dos céus é semelhante a um homem...” Ora, o motivo em começar com o “PORQUE” não é outro senão a CONTINUIDADE da narrativa anterior, exemplificando agora a resposta que acabara de dar, porém, com uma parábola. Perceba então que a narrativa É A MESMA do capítulo anterior. Jesus trás para o contexto humano, cotidiano, o seu ensinamento sobre ENTREGA e AMOR. E não haveria exemplo melhor do que a relação de TRABALHO X SALÁRIO, mas, por quê?
 
O motivo é que em nossas relações de trabalhos esperamos receber proporcional ao que fazemos, isso faz de nós pessoas INTERESSADAS nas recompensas, nos benefícios, nas riquezas, porém, essa relação NÃO EXISTE no Reino de Deus, pois Deus não nos escolhe por méritos próprios, mas por sua GRAÇA manifesta no sacrifício de Cristo como um ato de Amor, com está escrito: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;" Efésios 2:8-9”

Quando o empregador/senhor (Deus/Jesus) paga aos trabalhadores (eu, você, nós) a mesma quantia (um denário = vida eterna), está demonstrando que na grande Seara (mundo que vivemos, procurando seguir os ensinamentos de Cristo anunciando o evangelho) onde Deus é o Senhor, TODOS SÃO IGUAIS e, portanto, merecedores do mesmo salário, pois não se trata de quem fez mais ou menos, mas sim do PORQUE FEZ, isto é, por amor ou por interesse?

No exemplo da parábola, Jesus DESCONSTRÓI completamente nosso conceito de MERECIMENTO, mostrando que Deus não se interessa pela quantidade de nosso trabalho em SUA seara, mas OS MOTIVOS que nos levam a trabalhar, eis a razão de uns serem chamados mais cedo e outros mais tarde. Estes diferentes horários não têm nada haver com ELEIÇÃO de Deus, mas simplesmente com a intenção em demonstrar que aqueles que têm mais tempo na seara não é mais merecedor do que o que tem menos tempo, pois todos devem estar trabalhando por ENTREGA, DOAÇÃO e AMOR, e não por recompensas. O “salário” é a conseqüência de uma entrega, e não de um investimento. A resposta do empregador é a visão de Deus misericordiosa em contraste com a visão humana meritista.

Os trabalhadores que questionaram o empregador são aqueles que se doam esperando receber mais, impondo condições. Que fazem o trabalho não por amor, mas por interesse na recompensa, como se esta recompensa fosse mérito do seu trabalho. São estes que serão os últimos, pois trabalharão sem compreender a verdadeira intenção de Deus até que ao final de tudo verá os “últimos” tomando seu lugar. 

Finalizando, Deus não deseja que tratemos seu Reino como tratamos nossas relações de trabalho, por recompensas e méritos. Sua relação de valor conosco é diferente da que temos com nós mesmos. Seu Reino só está “aberto” a nós, novamente, devido a Graça na vida de Cristo, por amor a nós, estando nós destituídos de sua Glória (Rm,3:23), o que significa SEM NENHUM MERECIMENTO. Ora, não é justo, também, que nosso trabalho seja uma resposta de amor ao seu chamado? Como se não bastasse Ele ainda nos dá a vida eterna (um denário), isso que é amor heim?

Dúvidas, críticas e opiniões deixem no comentário logo abaixo!

Abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima
17 de março de 2012 21:49

gostei faz sentido e encaixa as coisas no seu devido lugar parabéns

Deus abençoe

Resposta
avatar