NOVELAS - ELAS REGULAM A SUA FAMÍLIA?

Por que o conteúdo das novelas é tão tendencioso? Todos vêem isso ou eu estou errado? Chega a causar espanto como determinadas novelas são escritas e passo a ter “certeza” de que são cuidadosamente encomendadas para atingir não uma simples meta de audiência, mas de influência social. Isso teria um motivo especial ou é apenas o retrato da vida real?

Alguns dizem que a novela imita a vida, outros que a vida imita a novela. Eu, porém, afirmo que as duas visões estão certas e o problema não está nessas visões, mas no propósito com que é feito uma novela, independente se imitam ou não a vida.

As novelas são cada vez mais uma vitrine de pensamentos, ideologias e comportamentos que vão sendo embutidos na sociedade com um propósito específico. Se por um lado imita a realidade, por outro não faz nada para melhorar essa realidade, e quando faz (se fizer) é segundo as intenções de quem a faz e patrocina, mediante aquilo que entende ser o certo e errado. Ou seja, o “certo” não é necessariamente certo para você, ou no mínimo, o melhor para a maioria.

O que mais me chama atenção é a temática das novelas, principalmente aquelas de grande audiência, de alcance “Global”, se é que me entende. Podemos resumir os temas generalizando-os da seguinte forma:

Traição-adultério – Esse é campeão, e aqui tem algo bem característico que é quanto mais bizarra a traição, melhor! O bom é “menino” com Coroas e meninas com Tiozão, nada de paridade. Casamento que começa bem certamente terminará mal. Estou errado?

Ganância-Poder-Riqueza – “Pena” das pessoas simples nessas novelas, pois simplicidade e humildade é quase sinônimo de pobreza, sofrimento e infelicidade, o bonzinho da história não é “o cara”, o cara é o galã de olhos azuis, às vezes malandro, outras com algum ato de piedade para não deixar passar em branco. Sucesso é ter ostentação material, poder mandar e desmandar, fazer tudo com todos. Isso sim é o valioso. Simplicidade? Ah, isso é importante, claro, mas... não deve dar audiência;

Espiritualidade sim, religiosidade não! – Falar de espiritualidade é fácil, pois todos tem um sentimento religioso dentro de si, difícil é falar da religiosidade, pois essa exige conhecimento detalhado de fatos e origens que só podem ser abordados por quem tem autoridade no assunto. No entanto a abordagem da espiritualidade inevitavelmente atinge a religiosidade, que quando não é posta na sua totalidade se traduz em parcialidade e, como o nome já diz... o resto é figurante de circo;

Sexualidade-comportamento sexual – Outro campeão. Não se trata de exposição do comportamento sexual como ele é e, de fato, se constrói, mas na TRADUÇÃO dele. Ou seja, a novela tenta ditar aquilo que seria/deveria ser o correto para diferentes tipos de comportamento sexual dês da sua orígem, porém, CLARO, na visão e INTENÇÃO de quem a faz e patrocina;

Ruptura familiar – Família feliz é coisa do passado. É careta, não tem graça e muito menos audiência. A novela põe a família no inferno, se possível pegando fogo até virar cinzas na mão do capeta. Relação sadia de pai e filho? Isso é raro, quando tem é porque o problema é com outra pessoa, mas da mesma família, claro, com a esposa, esposo, empregado doméstico, cachorro, papagaio, etc...

É isso aí, se for pensar e analisar cada novela em detalhes você verá muito mais nas suas entranhas do que imagina. Coisa boa? Claro que algo de bom existe nas novelas, pois como atrair a caça se não oferecer também a isca?  

Você acha um exagero? Então pense; por que não vemos novelas dedicadas em transmitir bons conhecimentos, cultura e informação? Por que não vemos novelas dedicadas em transmitir os bons costumes da família, como o amor entre o pai e o filho, entre o marido e esposa. A capacidade de superação frente às dificuldades sociais reais, como moradia, emprego, educação, saúde, afeto, SUPERADAS, e não desfeitas(os)? A tradução do caráter humano nas atitudes simples, porém mais importantes como a cooperação comunitária para livrar jovens das ruas, do vício, da prostituição (Ops! Prostituição não porque agora é profissão, por convicção, estou certo?).

Você faz parte da novela tanto quanto ela faz parte de você. Suas atitudes, comportamentos, são inevitavelmente influenciados por seu conteúdo, fazendo muitas vezes com que você não tenha ao menos a capacidade de pensar por si próprio e julgar criticamente o que sua família vê. Sem perceber, o que você acredita ser apenas o retrato da realidade é na verdade o maior ditador de mentiras de uma sociedade carente, de quem não a imite, mas mostre o melhor caminho a seguir.

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima
26 de julho de 2011 11:28

Não tenho nenhuma preocupação em me defender de seu comentário, mesmo porque você não comentou nada.
Quanto a moderação é uma escolha minha publicar ou não, mesmo porque acredito que de fato você desconhece a legislação brasileira.
Comentar ou não fica a critério do leitor, não é uma obrigação, o que aliás você não fez; não acrescentou nada à matéria publicada.

Resposta
avatar
27 de julho de 2011 10:36

Querido você não soube assimilar ou interpretar a intenção de meu comentário e ainda fez dele motivo de especulação. De fato, não comentei o seu texto, mas a forma que tem de "incentivar" leitores a expressar suas opiniões em um espaço que se denomina cristão. Se por um lado você acredita que não entendo nada de legislação (...), por outro falta-lhe mais de cristianismo, pois a postura que itendifiquei foi confirmada em sua resposta ao meu comentário. Por sinal, realmente não quis acrescentar nada ao seu texto, era a você, mas já que a minha opininão foi, para você, um julgamento sem nenhum valor, então não se preocupe, pois guardarei minha ignorância para mim e os leitores do Vitrine2009.

Abraço e paz de Deus.
http://vitrine2009.blogspot.com

Resposta
avatar