QUALIDADE DE VIDA VS DINHEIRO NO BOLSO!


Quando olhamos aquele cidadão, bem vestido, de terno e gravata acomodado em seu carro importado aparentemente isolado do ambiente confuso do trânsito, logo pensamos nesse indivíduo como um “privilegiado”. Um alguém bem sucedido e certamente com uma qualidade de vida muito maior que a nossa. Será mesmo? Até que ponto, como e de que forma podemos medir a qualidade de vida de um indivíduo atualmente?

O carro pode ser o melhor do mundo, o terno o mais caro, porém, nada disso impede que o celular daquele indivíduo não pare de tocar e aquele automóvel vire um ambiente de trabalho – trancafiado – em pleno trânsito! O que para muitos, pode significar qualidade de vida, na verdade não passa dos velhos ingredientes estressantes sob uma roupagem digamos... mais sofisticada!

Estamos acostumados a medir a qualidade de vida de um indivíduo pela quantidade e qualidade de bens que possui, assim como pelo tipo de atividade que desenvolve. Se freqüenta certos ambientes, come ou faz certas coisas, etc. Mas a verdade é que qualidade de vida, atualmente, vai muito além do que podemos ver, atinge o que sentimos, como estamos, o que vivemos...

Não importa se você trabalha 4, 8, 12 ou 18 horas, 1, 2 ou 7 dias na semana. Se mora numa casa de taipa ou cobertura com vista para o mar. Se ganha 1 ou 50 salários mínimos, em resumo qualidade de vida esta em – como você se sente ao fazer algo – neste exato momento! Isso sim, acredite, é mais complicado do que parece.

O dinheiro não é mais sinônimo de satisfação e felicidade. Nós, humanos, estamos aprendendo a valorizar mais as pequenas coisas que nos fazem felizes. Existem pessoas adeptas até do nadismo, ou seja, o momento de não fazer nada. A verdade é que estamos aprendendo, ainda que na força, a reconhecer necessidades antes ignoradas em prol da aparência numérica de sucesso e de um estereótipo de “bem-estar padrão”

Antes de elaborar um projeto de vida, não se esqueça de dar espaço a coisas que lhe dê QUALIDADE DE VIDA, e não apenas sucesso financeiro ou status social. Pense longe, sua vida como um todo e, o todo como e/ou em sua vida, desenvolvendo certas atividades e assumindo compromissos, imaginando como você vai se sentir emocional, financeiro e fisicamente.

Por fim, a qualidade de vida é o que te traz satisfação e felicidade no maior conjunto de atributos humanos. E acredite a coragem de mudar, abrir mão de “receitas” prontas de sucesso quando as coisas não lhe fazem bem, é um grande passo rumo ao verdadeiro sucesso!

Um abraço e até a próxima...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima