ONDE VIVEM OS MONSTROS - OPINIÃO CRÍTICA

De início o que parece é mais um filme comum de animação, mas Onde Vivem os Monstros logo demonstra sua proposta ao colocar o personagem principal no foco de uma condição psicológica/familiar perturbadora.

O garoto Max sofre por não ter atenção de sua mãe, irmã e amigos ausentes. Tenta conquistar essa atenção, mas não consegue. É aí que passa a construir o seu próprio mundo (forte), próprios amigos (gelo, cerca, ursos de pelúcia). Mas isso o torna um garoto confuso, cheio de sentimentos herdados do seu ambiente de convivência. Max é impaciente e nervoso, porém sensível, hora introspectivo outra hiperativo, vez isolado, vez necessitado de companhia.

Onde vivem os monstros é, na verdade, o retrato da condição psicológica e familiar vivida pelo garoto Max. Cada monstro representa um perfil do seu comportamento, onde para lhe dar com esses conflitos (monstros) Max precisa sair da passividade e assumir uma posição de senhor dos seus próprios problemas, intitulado em sua fantasia de Rei, passando a enfrentar os conflitos vividos pelos monstros, que são na verdade personificações dos seus próprios conflitos.

Max não resolve os problemas familiares dos monstros, mas ao se por numa posição de rei aprende a enxergar melhor os conflitos de grupos e entender a responsabilidade que tem cada integrante desse grupo, é quando percebe a importância de sua mãe, sua impotência ante as situações difíceis e a necessidade de se viver em cumplicidade. Max então decide retornar ao lar, agora mais seguro do seu papel e das dificuldades enfrentadas por sua família real.

O filme pode parecer monótono para quem espera ação e aventura típicas de filmes animados, mas ao interpretar a intenção do autor (se é que foi intencional!) é possível sentir a sua seneibilidade e natureza com que trata de modo fantasioso os conflitos da infancia. Vale apena conferir...

E você, o que achou do filme? Faça seu comentário abaixo...

COMPARTILHAR

Edição:

Somos uma mídia independente, oferecendo conteúdo com perspectiva cristã através de comentários sobre notícias do Brasil e do mundo. Para apoiar, compartilhe nossos textos e curta a página no Facebook.

Anterior
Proxima